60% dos MEI formalizados na pandemia abriram o negócio por oportunidade

Mais de 215 mil microempreendedores se formalizaram em Minas Gerais entre março de 2020 e abril deste ano

Cerca de 20% dos microempreendedores individuais (MEI) de Minas Gerais se formalizaram durante a pandemia e 60% deles abriram um negócio por oportunidade nesse período, como mostra a pesquisa realizada pelo Sebrae Minas para avaliar o perfil dos novos MEI, segmento que corresponde a 63% dos pequenos negócios do estado. Entre março de 2020 e abril deste ano, 215.025 novos MEI chegaram ao mercado, totalizando 1.342.377 formalizados.

O percentual tanto de mulheres como de homens que se tornou MEI durante a pandemia e que empreendeu por oportunidade foi próximo a 60%.

“Apesar da pandemia e de seus impactos econômicos, a maioria dos entrevistados afirma ter se tornado MEI no último ano porque identificou uma oportunidade no mercado”, explica Paola La Guardia, analista da Unidade de Inteligência Empresarial do Sebrae Minas.

Entre os MEI que empreenderam durante a pandemia, 8% têm idade entre 18 e 24 anos. Os jovens nessa faixa etária que empreendiam antes da pandemia eram 5%. Já entre os MEI na faixa dos 55 anos ou mais, essa diferença é ainda maior, com apenas 6% tendo se tornado MEI durante a pandemia, contra 15% dos que já eram microempreendedores.

“Os dados confirmam o aumento da participação dos jovens brasileiros entre os empreendedores iniciais, como vem apontando a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que avalia a atividade empreendedora em vários países, incluindo o Brasil”, afirma Paola La Guardia.

Fonte de renda

A pesquisa do Sebrae Minas também mostra que a atividade como MEI é a única fonte de renda familiar para 40% dos microempreendedores individuais. Outros 35% afirmam que a família tem outra fonte de renda, e a do MEI é complementar; e 18% têm outra fonte de renda, porém a do MEI é a principal.

Local de atuação

Praticamente a metade (49%) dos microempreendedores realiza parte ou todo o trabalho em casa. Os outros locais onde o MEI mais trabalha são em um estabelecimento próprio (32%) e na casa do cliente (27%). Os que trabalham exclusivamente nesses locais são: 31% em casa, 18%em um estabelecimento próprio e 10% na casa do cliente.

Uma proporção maior de mulheres realiza parte do trabalho em casa: 59%, contra 40% dos homens. O inverso ocorre entre os que realizam parte do trabalho na casa ou na empresa do cliente: 53% dos homens e 32% das mulheres.

Perfil dos MEI

  • 22% dos MEI de Minas Gerais se formalizaram na pandemia
  • 56% dos MEI são da cor preta ou parda
  • 74% empreendem nos setores de Comércio e Serviços
  • 31% têm o Ensino Superior completo ou Pós-graduação

Formalizou por oportunidade

  • 65% das mulheres
  • 61% dos homens
  • 6 em cada 10 têm entre 25 e 44 anos

 
Onde atua

  • 49% realizam parte do trabalho em casa
  • 32% em um estabelecimento próprio
  • 27% na casa do cliente

MEI como fonte de renda

  • 40% – única fonte de renda
  • 35% – fonte complementar
  • 18% – fonte principal

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.