Abertura do comércio em cidades da região pode sobrecarregar saúde em Divinópolis

Polo do Centro-Oeste, secretário cobra alinhamento dos municípios e pede que prefeitos mantenham isolamento para evitar desassistência

O secretário de saúde de Divinópolis Amarildo de Sousa cobrou alinhamento entre os municípios do Centro-Oeste. Com a informação de que alguns prefeitos irão liberar o isolamento a partir da próxima semana com abertura do comércio, ele recorreu à Superintendência Regional de Saúde (SRS) fazendo apelo para que medidas previstas no decreto do estado sejam seguidas.

O receio é com a sobrecarga do sistema hospitalar, já que em um eventual aumento de casos, Divinópolis será base para receber pacientes de pelo menos 54 cidades. Entre os municípios que divulgaram a retomada das atividades comerciais está Nova Serrana, a data prevista é 6 de abril. Em Carmo da Mata foi iniciado um treinamento com possibilidade de reabertura a partir da próxima semana.

“Ontem (02) eu estive em contato com o superintendente, pedi um alerta para que essas cidades mantenham o isolamento. Algumas prefeituras já voltaram atrás porque fizeram analise dos números.  Vamos fazer esse contato junto com a superintendência para que alinhem as medidas regionalmente. Para que a região Centro-Oeste tenha uma conduta só, no uso de EPI’s, nas medidas de isolamento. Os leitos que estamos fazendo vai servir a região, precisamos que eles colaborem com a nossa curva de infecção, para que a velocidade com que as pessoas adoeçam diminuam e não tenha risco de desassistência”, argumentou Sousa.

Serão abertos 40 leitos no hospital de campanha em instalação no estacionamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Outros 27 serão implantados no Complexo de Saúde São João de Deus. Com ajuda de empresas, o município também irá reformar uma ala do Hospital Bento Meni para que seja utilizada caso haja a superlotação os leitos disponíveis. Atualmente a cidade conta com 222 e terá acréscimo de quase 70.

Sem flexibilização

O secretário reforçou que não há nenhuma flexibilização para abertura do comércio e que o isolamento social continua por tempo indeterminado.

“Não há flexibilização das medidas, estamos no momento crucial. É neste momento que temos que fazer o isolamento, porque agora que os números vão começar a subir. Por isso, peço, encarecidamente para que as pessoas respeitem isolamento”, fez o apelo.

Na cidade, desde o dia 20 o comércio está fechado.

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano é editora-chefe do Portal Centro-Oeste. Jornalista por formação e paixão. Pós-graduada em Marketing e Comunicação Integrada.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.