Skip to main content

Atendimentos de sintomas respiratórios aumentam 201,6% no São João de Deus

A quantidade de pessoas atendidas nos 11 primeiros dias de janeiro já equivale quase que o total de atendimentos de dezembro do ano passado
Por 14/01/2022janeiro 17th, 2022Outras Notícias, Saúde

A quantidade de pessoas atendidas nos 11 primeiros dias de janeiro já equivale quase que o total de atendimentos de dezembro do ano passado

Os atendimentos de sintomas respiratórios aumentaram 201,6% nos 11 primeiros dias de janeiro deste ano quando comparado com o mesmo período do ano passado no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD). De 1º ao dia 11 deste mês 374 pessoas foram atendidas.

O levantamento aponta que nos 11 primeiros dias de dezembro, 124 pessoas passaram pela Unidade de Apoio Respiratório. A quantidade de pessoas atendidas já equivale quase que o total de atendimentos de dezembro, 426.

O aumento significante fez com que o hospital adotasse protocolo único para síndromes gripas e Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Isso inclui, por exemplo, COVID-19, a variante Ômicron e Influenza.

“O Complexo de Saúde São João de Deus reforça que seguirá mantendo os protocolos de atendimento, em que pacientes com síndromes gripais são direcionados à Unidade de Apoio Respiratório da instituição, sejam atendimentos COVID, de Influenza ou outros vírus associados à respiração. Com a realização de um protocolo único, pensando em um atendimento seguro daremos uma atenção especial para esta enfermidade com fluxo direcionado”, informou o hospital.

Protocolo único

O protocolo foi apresentado a gerentes, coordenadores, assessores no dia 07 de janeiro pela infectologista e coordenadora do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH), Rosângela Guedes.

Por apresentar sintomas semelhantes aos da COVID-19, com um período de incubação de 1 a 4 dias e período de transmissão de 7 dias, Dra. Rosângela destaca que não há como diferenciar a Influenza dos demais vírus respiratórios.

“A partir de agora, nós não vamos saber se o paciente tem COVID, Influenza ou outros vírus associados à respiração. Sendo assim, teremos um protocolo único, que vai atender a todos os pacientes com segurança, baseados em tempo de sintomas, com uma atenção especial às gestantes, puérperas, crianças, idosos, pessoas com doenças crônicas, hematológicas, obesidade, imunossuprimidos, dentre outros”, explica.

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano

Sou fundadora do Portal Gerais. Jornalista por formação e paixão. Curiosa, observadora e questionadora. Mãe da Cecília, na desafiadora e gratificante tarefa de maternar, empreender, realizar-se.