Skip to main content

Centro-Oeste de Minas ainda está longe de atingir meta da vacinação contra a gripe

By 02/06/2022junho 4th, 2022Outras Notícias, Saúde

Nesta sexta-feira, 3 de junho, encerra a 24ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza em todo Brasil. Na Macrorregião Oeste, segundo  o painel do Ministério da Saúde, até 30/5, estava em 65% de cobertura. Ou seja, 196.124 receberam o imunizante.  A população idosa é a que está com a cobertura mais avançada na região, 71%. Deste público, 136.197  já foram vacinados. As puérperas são as que têm o menor percentual, 37%, com 495 inoculações.  Ao todo são 335.438 pessoas aptas a receber o imunizante na macrorregião Oeste.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais explica que a meta preconizada pelo Ministério da Saúde é de 90% de cobertura vacinal para os grupos prioritários. Estão incluídos no grupo prioritário crianças de seis meses a menores de 5 anos, idosos, trabalhadores da saúde, gestantes e puérperas, povos indígenas, professores, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança, salvamento e forças armadas, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, população privada de liberdade, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas.

A referência de imunização da Superintendência Regional de saúde de Divinópolis, Eliane Peixoto, reforça o apelo para que procurem as unidades básicas de saúde  para que a cobertura possa aumentar.

“Estamos quase no fim da campanha e temos baixas coberturas em vários públicos prioritários. Temos muitos municípios com cobertura de 50 a 79% em idosos e trabalhadores de saúde, mais da  metade dos municípios da região tem menos de 50% de cobertura vacinal nos outros públicos. Então precisamos que a população, principalmente os de maior risco de desenvolver quadros graves procurem as unidades de saúde para poderem se vacinar e evitar os quadros graves da doença”, destacou a referência.