Skip to main content

Divinópolis e Itaúna se destacam na geração de empregos em micro e pequenas empresas

Por 04/01/2023Economia

O setor de comércio foi o responsável pelo surgimento de mais de 6,7 mil vagas em Minas, avanço de 109%

Impulsionadas pelo crescimento do comércio, as micro e pequenas empresas (MPE) de Minas Gerais tiveram um saldo positivo de 9.985 postos de trabalho criados em novembro. O número foi o terceiro maior do país, ficando atrás de São Paulo (30.079) e Rio de Janeiro (18.893). Divinópolis e Itaúna se destacam no top 10 de Minas Gerais, como a oitava e décima colocação, respectivamente.

Os dados fazem parte de um levantamento realizado pelo Sebrae Minas, com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged).

Em novembro, os pequenos negócios de Minas Gerais registraram um total de 113 mil admissões e 103,3 mil desligamentos. O saldo positivo representa 100% das vagas de emprego que surgiram no período, já que as médias e grandes empresas (MGE) tiveram um saldo negativo de -3.122 vagas.

Em relação ao mês de outubro, houve queda de 18,3% no saldo de postos de trabalho. Já no comparativo com novembro de 2021, os números tiveram retração de 52,6% do total de empregos gerados pelas atividades econômicas.

O setor de comércio foi o responsável pelo surgimento de mais de 6,7 mil vagas em Minas, o que representa um avanço de 109% na comparação com outubro. As atividades de comércio varejista de artigos de vestuários e acessórios (1.562 vagas), restaurantes e similares (697) e comércio varejista de mercadorias em geral (689) foram as que mais empregaram nas micro e pequenas empresas em novembro.

“O comércio e os serviços são setores que puxam o saldo positivo de empregos em todo o ano. Mas esse crescimento é percebido mais facilmente nos últimos meses, já que as comemorações de Natal e Ano Novo demandam mais mão de obra”, ressalta o analista do Sebrae Minas, André Costa.

O saldo positivo no comércio compensou os resultados desfavoráveis obtidos na Construção Civil, na Agropecuária e na Indústria Extrativa Mineral, que registraram, juntas, uma perda de mais de 2,3 mil postos de trabalho. A queda mais expressiva no comparativo com outubro ocorreu na atividade agropecuária: -2.092,3%.

Os donos de pequenos negócios encararam o ano passado com mais pés no chão, após realizarem mais investimentos em 2021 em postos de trabalho.

“A expectativa de crescimento econômico em 2021 era maior. Acabávamos de enfrentar uma onda de covid-19 e chegaram as vacinas que proporcionaram um alívio na pandemia. Isso acabou gerando mais confiança entre os empresários. Com esse cenário mais estável e a economia dando sinais tímidos de melhora em 2022, houve um receio maior entre os empresários, o que pode explicar o decréscimo em relação ao ano anterior”, considera André Costa.

Saldo por município

Os números mostram que Belo Horizonte foi a cidade mineira com maior geração de empregos nas MPE em novembro, com um saldo de 3.717 vagas.

Em seguida, a lista inclui Uberlândia (843), Contagem (741), Betim (381), Lavras (282), Uberaba (238), Montes Claros (216) Divinópolis, Juiz de Fora (209) e Itaúna (180). Por outro lado, Serra dos Aimorés, no Vale do Mucuri, e Brumadinho foram os que registraram menor saldo (-334 e -316, respectivamente).