Divinópolis irá aderir ao plano estadual que define flexibilização do comércio

Plano prevê, inicialmente, apenas serviços essenciais para a região Oeste; Prefeitura ainda não confirma se irá recuar na flexibilização

Menos de uma semana após lançar a Matriz de Enfrentamento à Codiv-19, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) confirmou que irá aderir ao plano Minas Consciente do governo do Estado. Ele setoriza as atividades econômicas a serem liberadas para funcionamento de forma progressiva, conforme indicadores de capacidade assistencial e propagação da doença.

A adesão foi aprovada pelo Comitê de Enfrentamento à doença e o secretaria está preparando os documentos. A decisão ocorreu após a Secretaria de Estado de Saúde (Ses) recomendar que o município adotasse o plano como referência. Na prática, isso poderá influenciar no funcionamento das atividades econômicas do município.

O plano setoriza a economia em quadro “ondas” “onda verde – serviços essenciais; onda branca – primeira fase; onda amarela – segunda fase; onda vermelha – terceira fase). Em divulgação nesta quinta-feira (25), a Ses classifica a região Oeste, que inclui Divinópolis (veja os municípios) como “onda verde”, ou seja, apenas os serviços considerados emergenciais poderiam estar funcionando em Divinópolis e demais municípios que a compõe.

Clique aqui e saiba quais os serviços autorizados a funcionar pela “onda verde”.

De acordo com a Ses, a relação entre o número de leitos e a incidência de novos casos, além do tempo médio para internação após solicitação, não permitem uma folga confiável se o número de casos crescer em decorrência da reabertura de novos estabelecimentos.

Apesar da previsão no plano, a Assessoria de Comunicação da prefeitura informou, nesta quinta (25), que ainda não há detalhes sobre como será a aplicação do protocolo, ou seja, se a cidade irá recuar na flexibilização ou se manterá a mesma linha adotada até o momento.

Reabertura

Em Divinópolis, praticamente todos os setores da economia foram flexibilizados. O comércio funciona em horário especial, assim como restaurantes, shoppings, galerias. Bares foram autorizados, desde que sem a venda de bebida alcoólica. As celebrações religiosas foram autorizadas na semana passada. Cursos profissionalizantes, academias, escritórios também podem abrir.

Para direcionar a flexibilização, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 aprovou na última quarta-feira (17) a Matriz. Ela é uma ferramenta que analisa os níveis de risco de contaminação nos segmentos da sociedade, como comércio, indústria e lazer, auxiliando nas decisões do poder público quanto às medidas de isolamento social.

A matriz é composta por quatro fatores de ameaça e um fator de vulnerabilidade. Cada um desses fatores tem indicadores com pesos (pontos) que influenciam no resultado da matriz. Até então, a cidade era classificada como “risco moderado”.

O último boletim, desta quarta-feira (24), apontou taxa de ocupação geral dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de 55,2%. Quando considerado os leitos exclusivos para pacientes com quadro clínico compatível com o novo coronavirus, o índice cai para 25,5%. Até quarta a cidade tinha 24 pacientes internados com suspeitas da doença em UTI’s e outros 33 em enfermaria. A cidade tem 134 leitos clínicos exclusivos.

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano é editora-chefe do Portal Centro-Oeste. Jornalista por formação e paixão. Curiosa, observadora e questionadora.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.