Falta de kit intubação coloca em risco pacientes do hospital de campanha

Várias irregularidades foram constatadas pela Comissão de Saúde; Ela aponta risco de lesão pulmonar e sofrimento a pacientes

Várias irregularidades foram constatadas pela Comissão de Saúde da Câmara de Divinópolis no hospital de campanha. O relatório foi apresentado nesta terça-feira (8/6) pelo presidente, o vereador Zé Braz (PV). Dentre, os problemas está a falta de medicamentos que integram o kit intubação para sedar pacientes em tratamento contra a COVID-19.

O problema foi relatado ainda no final de março pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social (IBDS) – responsável pela gestão da unidade – à Secretaria Municipal de Saúde (Semusa). Porém, nenhuma providência foi tomada.

Sem o kit intubação, as equipes estão usando medicamentos alternativos, porém que podem colocar em risco os pacientes. Procedex, Prometazina, Haloperidol e Clonazepam são os remédios alternativos.

Esses medicamentos, segundo o relatório da comissão, são, respectivamente, ansiolítico/sedativo/analgésico, anti-histamínico, neuroléptico e benzodiazepina.

“Conforme explicado pelos profissionais, e como é de conhecimento dos membros dessa comissão, que possuem experiência na área de saúde, eles não são adequados à manutenção do paciente intubado, já que não são hipnóticos e permitem que o paciente tenha consciência e, assim, sofra demasiadamente com a respiração mecânica”, consta no relatório.

Há mais de um mês, segundo informado pelos profissionais do setor à comissão, todos os pacientes do Centro de Terapia Intensiva (CTI) estão recebendo oferta contínua de 100% de O2. 

“Os profissionais da área relataram que a oferta contínua de 100% de O2 é nociva ao paciente, pois pode causar lesões pulmonares”, afirmou Zé Braz .

As bombas de infusão de medicamentos são insuficientes.

“Tendo sido verificada a administração de drogas que deveriam ser por meio de bomba, através de equipo macro gotas”, contou o presidente.

As irregularidades foram informadas ao Secretário Municipal de Saúde (Semusa), Alan Rodrigo da Silva. A assessoria de comunicação da secretaria disse que foi determinada vistoria pela Vigilância Sanitária e que se manifestará após a apresentação do relatório.

A IBDS disse que os problemas começaram a ser sanados e que mais informações serão divulgadas ao longo da semana.

De acordo com Zé Braz, os medicamentos do kit intubação já foram normalizados.

Ocupação

O hospital de campanha é referência para 53 municípios da região. Ele está operando no limite. Na sexta-feira (4/6) atingiu 100% de ocupação. 

Já nesta terça-feira (8/6) ele está operando com 86,67% das vagas do Centro de Terapia Intensiva (CTI) ocupadas, ou seja, 26 dos 30 disponíveis.

Na enfermaria, a taxa de hospitalização é de 75%, com 24 dos 32 leitos com pacientes.

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano é editora-chefe do Portal Centro-Oeste. Jornalista por formação e paixão. Curiosa, observadora e questionadora.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.