Gino poderá manter nome do Geno na nova formação da dupla

TJMG decidiu favorável ao cantor e à empresa WM Shows; “Querem arrancar minha identidade”, desabafou Geno Alves

A empresa WM Shows, representada pelo empresário Wagner Tadeu de Paula e pelo cantor Sebastião Ribeiro, o Gino tiveram decisão favorável no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e poderão manter o uso do nome artístico da dupla sertaneja “Gino & Geno”. Desde 2019 ela tem nova formação com Mauro Avante da antiga dupla “Avante & Avaí”.

Geraldo Alves, o então Geno, de forma unilateral, em um show em Cuiabá, em dezembro 2018, declarou ao público a “aposentadoria” alegando que pretendia se dedicar à família e afazeres pessoais. Logo após anúncio da nova dupla ele voltou atrás alegando que não cederia o nome pois ele é parte da “vida e história” dele.

O ex-integrante da dupla, que tinha 50 anos de carreira, acionou a justiça pedindo que a empresa WM Shows e Gino não utilizassem a marca para shows, eventos, gravações de mídias, etc. sob pena de multa diária de R$10 mil.

A decisão do TJMG dentre vários documentos comprobatórios anexados ao processo, foi baseada principalmente em atas notariais desenvolvidas pelo Escritório de Advocacia Fábio Campos – Consultores & Advogados Associados.

O relator do processo, o desembargador Antônio Bispo citou a declaração do próprio Geraldo Alves em um vídeo na internet, dizendo que ela vai de encontro com o que pretendeu com a tutela requerida.

Na gravação ele disse que entraria de “férias prolongadas”, mas que a dupla continuaria com Gino e um novo parceiro.

“[…] Eu to parando mas que a dupla continua, que é uma história que a gente conseguiu “Gino & Geno” uma história muito bonita, desde o início da carreira até o fim, a gente vai separando mas não tem motivo de confusão nenhuma, é porque eu quero parar e o Gino vai continuar ai com o novo parceiro dele que é gente da família também […]”

Embora tenha mantido o direito de uso do nome artístico, o desembargador afirmou que não é possível certificar, neste momento, as implicações do registro de propriedade da marca.

“Pelo que mostra-se precipitada a concessão da tutela requerida pelo agravado”, afirmou.

Em nota, o escritório de advocacia Fabio de Oliveira Campos – Consultores & Advogados Associados “informou que toda matéria fática levada para o processo, retrata tão somente a realidade, verdade e transparência do cliente dele”.

 Entretanto, não quis comentar o mérito da decisão. “Uma vez que o Tribunal de Justiça, por unanimidade deu provimento ao recurso para revogar a ordem de abstenção deferida no primeiro grau”, afirmou.

“Ademais, todo processado foi conduzido com estudo, técnica processual, na busca da lídima e verdadeira justiça”, ressaltou Fabio Campos.

A decisão ainda cabe recurso. A reportagem tentou contato via rede social com Geno Alves, porém não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Desabafo

Geno desabafou nas redes sociais (Foto: Reprodução Vídeo)

Com a decisão do TJMG, Geraldo Alves, que ainda mantém o perfil das redes sociais como Geno Alves, desabafou. Leia na íntegra:

“Depois de 50 anos de carreira, o tempo me cobrou e precisei parar com as viagens e os shows. Mas a minha história na música continua… eu sou o Geno do GINO & GENO há muito tempo atrás e construí essa história junto do meu ex-parceiro Gino.

Mas por infelicidade do destino, esse mesmo ex-parceiro, junto do escritório que gerenciava minha carreira, decidiu arrancar de mim a minha identidade. Estão usando a minha marca, sem a minha permissão e sob meus pedidos pra que não o façam. Colocaram uma outra pessoa, que agora chamam de “geno”. Uma pessoa está se passando por mim. Prejudicando à mim e as pessoas que sempre gostaram e gostam da dupla… imagine ligar a tv num domingo a noite e alguém que você nunca viu, dizer que é o Silvio Santos. Ou se você fosse num show de um artista que você gosta e outra pessoa estivesse no palco…

Estou buscando amparo e apoio na justiça. Mas essa mesma justiça ainda não foi capaz de garantir meus direitos… mesmo a marca GINO & GENO sendo de minha propriedade. Mas além de papéis, sempre foi eu. Sou eu! Tudo o que o GINO & GENO fez e construiu foi comigo. Nesse meio século de carreira vivi tudo o que levou a dupla até onde chegou. E valeu a pena. E teve um preço. O tempo que passei nas estradas. O cansaço e noites sem dormir. Os dias que eu e minha esposa passamos juntos apostando no sonho de viver da minha música. Os aniversários que passei longe da minha filha quando ela ainda era neném… as datas importantes. Perdi o nascimento dos meus netos…

…o preço foi alto. Mas não me arrependo. Minha família sempre me apoiou por que sabem que eu estava fazendo o que de melhor sei fazer pra cuidar deles. Que é Ser um artista e cantar. Ser quem eu sou. O GENO… Em cada música que estourou. Nos milhares de shows pelo Brasil e até fora dele. Nos clipes, vídeos e dvds de sucesso. Sou eu.

Quero que minha história na música seja preservada. Nunca me opus que o Gino continuasse a cantar. Mas SEM o GENO. Assim como a vida, tudo tem fim. Estão tentando tomar meu nome e a minha história. Mas não vão conseguir. Eu não busco vitória, mas sim a JUSTIÇA.”

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano é editora-chefe do Portal Centro-Oeste. Jornalista por formação e paixão. Curiosa, observadora e questionadora.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.