Mais votada: Pompéu elege pela 1ª vez uma mulher trans para a câmara

Titia Chiba diz que o tempo de preconceito passou, que tabus foram quebrados e que a política é da diversidade

Jéssica Augusta Pereira

No domingo (15) em uma eleição nacionalmente histórica, o município de Pompéu elegeu Titia Chiba (PSB), a primeira mulher trans a assumir uma das cadeiras na câmara. Com 1220 votos, ela foi a candidata mais votada da cidade. Cabeleireira, radialista e graduanda em serviço social, Titia dedica a sua vida em prol do outro.

“E eu optei por continuar meu trabalho social pois eu tinha uma paixão muito grande em cuidar de pessoas.”

Em uma longa jornada, Titia viveu 8 anos na europa onde trabalhava como cabeleireira. Após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) ela teve que lidar com um déficit de manca, uma prótese no quadril e a paralisação de um dos braços, mas atualmente, a vereadora encara a questão com muita tranquilidade e força.

Após retornar ao Brasil, para receber os cuidados da mãe, ela foi convidada pela rádio comunitária “Terra” onde atuou como radialista e iniciou o trabalho de amparo, assistindo 10 famílias em situação de vulnerabilidade social. Percebendo sua habilidade e o apreço pelo cuidado ao outro, ela abandonou a rádio e se dedicou exclusivamente a cuidar das pessoas.

O primeiro passo, após a decisão, foi atuar como animadora em uma feirinha de agricultura familiar da cidade. Com a visibilidade alcançada, Titia criou campanhas sociais de agasalhos, roupas e alimentos. Em 8 meses de trabalho ela realizou mapeamentos e alcançou mais de 340 famílias.

“Eu assisti 343 famílias e me tornei a titia Chiba, a titia que é abraçada com carinho mesmo com todas as dificuldades que ela já passou por ser uma mulher trans, por ter deficiência. Ela mostrou ser capaz, ser guerreira e ter garra para superar qualquer coisa.”

Inserção na política

Titia entrou na política com o objetivo de representação e rompimento dos padrões de comportamento de outros candidatos, além de ter um suporte maior para atender as demandas da população.

“Eu via que a necessidade era muito grande de realmente as pessoas terem um representante, porque a minoria só é enxergada em época de política e eu queria quebrar esse tabu, quebrar esse tipo de atitude das pessoas para com as outras pessoas.”

Demandas mais urgentes

Em relação às principais demandas da cidade, a vereadora ressaltou os desafios que a pandemia trouxe, elogiou o prefeito reeleito Ozeas (Republicanos) e trouxe uma mensagem de esperança.

“Eu acredito que quando acabar o auxílio emergencial temos várias demandas, só que agora a gente vai ter um ano mais atípico, por causa da pandemia. Muita falta de emprego, muita falta “disso”, muita falta “daquilo” e todo mundo sem saber como e que rumo tomar. Temos na cidade hoje um prefeito que, graças a Deus, é um bom administrador, paga as contas todas em dia e paga os salários dos funcionários em dia. Então, eu acho que trabalhando em conjunto a gente vai longe, pode ter certeza!”

Projetos como vereadora

Quando questionada sobre seus projetos futuros, Titia, salientou que possui muitos planos para a população pompeana. Contudo, ela demonstrou a preocupação em qualificar profissionalmente a população e com isso, torná-la independente do assistencialismo.

“Eu pretendo trazer o melhor para a cidade principalmente na área social que é a área que eu mais abranjo. E eu acho que a gente tem que trazer suporte pra eles, qualificar as pessoas de forma que elas busquem o próprio sustento. Trazer cursos técnicos pra cá, senac, senar. Trazer vários tipos de qualificação para que eles não tenham que depender de assistencialismo.”

Representatividade na câmara

Esse ano, 27 homens e mulheres trans foram incubidas de assumir uma cadeira na câmara de vereadores. Visto que, em 2016, um terço dessas pessoas ocupavam esses lugares de poder, é de extrema importância falarmos sobre representatividade, sob uma ótica diversa e não segregatória. Titia, aborda a questão com muita clareza e salienta a importância da sua posição.

“Eu acredito que, eu estar mostrando para eles que independente de qualquer circunstância, de qualquer preconceito, a gente quebra tabus, a gente pode quebrar barreiras, basta você lutar, respeitar e querer, querer muito! Eu acredito que eu quebrei esse tabu na minha cidade e, várias trans como eu que foram eleitas em Minas Gerais, quebraram também. A gente vai quebrar muito mais, porque hoje a política é da diversidade.”

Respeito à diversidade

O Brasil é o país que mais extermina a população trans no mundo. Diante disso, a declaração de Titia, quando questionada sobre o preconceito e desafios enquanto mulher trans, nos envolve de esperança por dias melhores.

“Eu sou muito bem acolhida na minha cidade, o tempo de preconceito aqui passou, passou e acima de tudo eu mostrei que com dignidade, honestidade e respeito ao próximo você vence qualquer preconceito, você quebra qualquer tabu.”

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.