Skip to main content

Obras do PPI Favela do Alto São Vicente começam na próxima semana

By 11/10/2022Gerais

Cerca de 24 famílias aguardam pela casa própria há doze anos

A Prefeitura de Divinópolis, através do Gabinete do Prefeito, da Secretaria Municipal de Governo (Segov) e da Secretaria Municipal de Fiscalização de Obras Públicas e Planejamento (Semfop), informa que na noite de ontem (10/10), no salão comunitário do bairro Alto São Vicente, foi realizada a assinatura da ordem de serviço para o Programa Piloto de Intervenção em Favelas (PPI). As obras serão iniciadas na próxima segunda-feira (17/10).

O evento contou com a presença do Prefeito Gleidson Azevedo, da Vice-Prefeita e Secretária de Governo, Janete Aparecida, do Secretário de Fiscalização de Obras Públicas e Planejamento, Paulo José, do Deputado Federal, Domingos Sávio, do Vereador Rodyson do Zé Milton e dos representantes de cada família contemplada.

A empresa contratada, a partir do Processo Licitatório nº 278/2022, Concorrência Pública – 26/2022, especializada em obras civis, com fornecimento de materiais, equipamentos e mão de obra qualificada para construção de habitação multifamiliar vertical foi a empresa Construtora WBF Eireli.

O secretário de Fiscalização de Obras públicas e Planejamento, Paulo José, parabeniza a atual gestão e agradece todos os envolvidos neste projeto: “Estou muito feliz em fazer parte da alegria dessas famílias, que enfim, depois de árduos doze anos de espera terão sua dignidade resgatada com moradia própria e qualidade de vida. Parabenizo à administração Gleidson e Janete por mais este projeto de grande relevância de cunho social. Agradeço à minha equipe pela dedicação em tirar esse projeto do papel. A Semfop estará trabalhando com todo empenho para que essas famílias possam receber suas moradias dentro do prazo esperado e com a qualidade técnica necessária”.

O vereador Rodyson, discorreu sobre o engajamento de todos em prol da solução do problema: “Através do Deputado Domingos Sávio que conseguiu alocar recursos importantes para a obra e também da vice-prefeita e secretaria de governo, Janete, que juntamente com o Prefeito, Gleidson, fizeram a complementação do recurso que ultrapassa 3 milhões, vamos dar dignidade a essas famílias que estão esperando a anos por essas casas. ”

O deputado, Domingos Sávio, relembrou sobre os processos enfrentados para conseguir parte do recurso para as obras: “Estou muito feliz, porque é uma luta que a gente vem batalhando praticamente há mais de uma década, inúmeras vezes fui à Brasília para recuperar esse dinheiro, são 2 milhões do Governo Federal que conseguimos garantir, e em parceria com o prefeito Gleidson e com a vice-prefeita Janete, esse sonho será realizado. ”

A vice-prefeita e secretária de Governo, Janete Aparecida, agradece a todos pelo comprometimento: “ Depois de mais de um ano de muita luta vamos caminhar para devolver as famílias a dignidade da moradia própria. Agradeço a todos que não mediram esforços para chegarmos nessa etapa. Com esta obra nós estamos corrigindo um erro enorme cometido pelas gestões passadas e devolvendo para as pessoas um bem muito precioso que é a moradia própria, que era delas de direito”.

O prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo, também manifestou sua alegria com o avanço do programa: Estou muito feliz em dar andamento a essa demanda que a muito tempo estava paralisada. O povo do Alto São Vicente tem direito a dignidade de volta. Vamos fazer esses prédios e devolver a dignidade deste povo devolvendo suas moradias! ”.

PPI Favela – Alto São Vicente

Cerca de 24 famílias, que moravam em áreas de risco em Divinópolis, como o bairro Alto São Vicente, tiveram que sair dos imóveis em 2010 devido ao risco de desabamento das casas, que foi constatado pela Defesa Civil. Essas famílias aguardam há 12 anos pela casa própria.

Enfim, os imóveis serão construídos em uma área com mais de 2,2 mil metros quadrados, divididos em dois blocos com 12 apartamentos, no espaço conhecido como “Salgadão”, no prolongamento do bairro São Sebastião. O projeto visa oferecer moradia e qualidade de vida aos moradores de áreas de risco.

Ao todo serão aproximadamente 1,5 mil metros quadrados de área construída, 250 metros quadrados de área de lazer, 640 metros quadrados de estacionamento pavimentado. E, cada apartamento, possuirá cerca de 48 metros quadrados. Os beneficiários receberão os apartamentos sem nenhum custo.

A obra total está estimada em R$ 3,8 milhões, podendo sofrer alterações até a conclusão do orçamento. Atualmente, a prefeitura arca com mais de R$15 mil/mês com despesas com o aluguel social para as famílias que foram desabrigadas depois que suas moradias foram interditadas por estarem em área de risco.

Resta lembrar que a situação foi herdada pelo atual governo, de administrações passadas. Na busca por uma alternativa legal, e que garantisse o direito dos moradores, o atual Governo Municipal não mediu esforços para solucionar este problema.