Por problemas de saúde, prefeito de Bom Despacho deixa o cargo

Vice irá assumir a função; Carta de renúncia foi entregue nesta sexta-feira (03) à câmara municipal

O prefeito de Bom Despacho Fernando Cabral (PPS) renunciou, nesta sexta-feira (03), o cargo por problemas de saúde. Cabral foi diagnosticado com espondilite anquilosante – doença inflamatória crônica, que afeta as articulações do esqueleto axial (que compreende os ossos da cabeça, tórax e coluna), especialmente as da coluna e ombros, e dos quadris e joelhos.

“Neste momento não tenho condições de me dedicar à administração municipal com o afinco que se exige do chefe do executivo”, afirmou.

A possibilidade renúncia já havia sido cogitada pelo prefeito. Em meado do mês passado, Cabral ele se afastou do cargo para tratamento de saúde. Na época, em carta aberta à população disse que “os dias piores qualquer movimento se torna muito doloroso mesmo após o uso de analgésicos. Quanto mais tempo eu fico parado (sentado ou deitado), mais as dores aumentam e mais difícil fica reiniciar o movimento, mesmo que apenas para me levantar”.

“Tenho certeza de que Dr. Bertolino está à altura. Da mesma forma, tenho certeza de que os servidores e servidoras da Prefeitura Municipal de Bom Despacho estão à altura da missão que lhes cabe. Por tudo isto, sei que, unidos, e com a disposição de sempre, eles vão continuar trabalhando com afinco e dedicação para que nossa cidade seja cada vez melhor para todos”, antecipou na época em carta.

Vice assume o cargo

Com a decisão, o vice Bertolino da Costa Neto assume a cadeira. Ele participou de uma reunião com o prefeito. Em uma carta direcionada ao vice, Cabral fez um pequeno balanço e disse ter deixado em caixa R$38,1 milhões. Deste total, R$22,3 milhões são de livre movimentação, R$1,1 milhão de convênio e R$14,6 milhões estão em contas vinculadas.

O montante, segundo Cabral, é “suficiente para a conclusão das obras já autorizadas, quer estejam em execução ou em licitação”, como a construção do Centro de Terapia Intensiva (CTI) na Santa Casa de Bom Despacho.

Mandato cassado

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE), por quatro votos a dois, reformou a sentença de primeira instância e cassou os mandatos do prefeito de Bom Despacho (região Central de Minas), Fernando José Castro Cabral (PPS), e do vice-prefeito, Bertolino da Costa Neto(PTB), por uso indevido dos meios de comunicação social. A decisão cabe recurso e os cassados permanecem no cargo

No julgamento proferido pela Corte Eleitoral, o relator do processo, desembargador Alexandre Victor de Carvalho, entendeu que dos fatos apontados na AIJE restou configurado o abuso dos meios de comunicação social, pois houve massiva divulgação do então candidato a prefeito, Fernando Cabral, em jornal de grande circulação e distribuição gratuita no município. Tal fato desequilibrou o jogo de forças no processo eleitoral, “com gravidade suficiente para afetar a normalidade e a legitimidade das eleições”.

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano

Amanda Quintiliano é editora-chefe do Portal Centro-Oeste. Jornalista por formação e paixão. Pós-graduada em Marketing e Comunicação Integrada.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.