Skip to main content

Prefeito rejeita reajuste e mantém “passaginha” congelada

Por 30/12/2022Destaques

Desde 2020 a tarifa não sofre aumento; Estudo tarifário previa novo valor em R$ 4,51

O prefeito de Divinópolis (MG) Gleidson Azevedo (PSC) rejeitou, nesta sexta-feira (30/12) o reajuste da tarifa do transporte público apresentado pelo Conselho Municipal de Trânsito (Comutran). A planilha tarifária previa passar a “passaginha” para R$ 4,51.

Com a decisão, o preço da tarifa permanece R$ 4,15 em dinheiro e, no cartão, R$3,65. Ressaltando que o preço da tarifa na cidade está congelado neste valor desde janeiro de 2020.

A resposta da decisão foi formalizada por documento destinado à Secretaria Municipal de Trânsito, Segurança Pública e Mobilidade Urbana (Settrans).

“Devemos lembrar que o transporte público é um serviço que possui caráter essencial, ou seja, deve servir à toda população e, na atual conjuntura econômica, elevar o valor da tarifa significa inviabilizar a utilização do serviço por dezenas de milhares de usuários, que são pessoas de baixa renda”, destaca o Prefeito de Divinópolis.

Ele ainda completou.

“ Se compararmos o valor sugerido pelo Comutran no final do ano de 2021, que foi de R$6,09 e o valor sugerido agora, em dezembro de 2022, de R$4,51, podemos verificar que existe um conjunto de fatores e situações fazendo com que o preço da tarifa de transporte público decresça e o município está contribuindo para isso, ao subsidiar o transporte público.”

Só este ano, o município fez complemento tarifário de R$ 5,6 milhões, referentes ao subsídio aprovado para evitar o aumento da tarifa.