Skip to main content

Prefeitura nega ofício circular para intimidar agentes de saúde: “Mentirosa”

By 11/08/2022Gerais

Sintram divulgou conteúdo acusando a diretora de atenção à saúde de intimidar a categoria para evitar manifestação

A Prefeitura de Divinópolis, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), negou o envio da “circular DAPS-SMS Nº 602/2022”. O documento, conforme divulgado pelo Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintram), teria sido enviado para intimidar agentes de saúde e de combate a endemias que pretendiam uma manifestação.

Na nota, a prefeitura trata a circular como “suposto ofício” em que Daniela Dias Vasconcelos, diretora de Atenção à Saúde da Prefeitura de Divinópolis tentaria coagir agentes de saúde e de combates a endemias.

“A Secretaria Municipal de Saúde informa que não remeteu nenhum ofício aos supervisores de unidade com tal conteúdo, ainda que não tenha sido identificado nenhum conteúdo intimidatório no suposto ofício, cuja autoria recaiu sobre a diretora Daniela Dias Vasconcelos”, alegou.

Mentirosa

A prefeitura ainda diz que a suposta intimidação é “mentirosa.”

“Por fim, tal fala que os agentes comunitários de saúde e de combate a endemias de Divinópolis foram intimidados por ofício é mentirosa e traz sérias consequências aos princípios da verdade e transparência. A Semusa conclama qualquer servidor que tenha recebido o suposto ofício a se manifestar publicamente e, assim, contradizer o que é considerado como conduta caluniosa.

Reforçando o compromisso com a valorização do servidor e com incontigenciável obrigação legal de não realizar despesas sem lastro financeiro, o secretário de Saúde, se coloca à disposição para outros esclarecimentos que se fizerem necessários.”

A nota foi republicada pelo Sintram, porém, apenas por meio de digitação. O PORTAL GERAIS cobrou, nesta quinta-feira (11/8), uma cópia do ofício. Porém, não recebeu do sindicato até a publicação desta matéria.

Ao publicar o conteúdo, o sindicato também falou em coação e assédio.

O PORTAL GERAIS publicou a notícia com base nas informações divulgadas pelo sindicato. O texto será retirado do ar, até que uma cópia da circular seja apresentada comprovando a veracidade.

Nota do sindicato

Embora não tenha apresentado a cópia do ofício circular, o sindicato afirma que a própria nota emitida hoje pela prefeitura é “intimidadora”. Disse ainda que cumpriu a sua função institucional em defesa do servidor.

“O Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram) vem a público esclarecer que o conteúdo de intimidação aos Agentes Comunitários de Saúde e aos Agentes de Combate à Endemias de fato circulou entre a categoria antes das manifestações ocorridas no início dessa semana. O esclarecimento se faz necessário, uma vez que a Prefeitura, em nota, nega a autoria do conteúdo.

O Sintram deu publicidade ao fato em cumprimento à sua obrigação institucional de defesa do servidor público. A publicidade foi necessária, uma vez que é regra dessa administração, desde o primeiro ano do mandato, as atitudes truculentas contra os servidores. O Sintram já recebeu dezenas de denúncias de servidores vítimas de assédio moral e de métodos intimidatórios que partem de ocupantes de cargos comissionados, especialmente no primeiro escalão.

Há dezenas de ataques a servidores que ocorreram publicamente, como foi o caso do ataque desumano feito pelo prefeito contra um agente de trânsito que cumpria sua missão. O mesmo prefeito, durante um ato em frente ao Centro Administrativo, agrediu sindicalistas com palavras de baixo calão. Esses são fatos públicos, registrados em vídeo e fotografias. Porém, há os ataques a servidores através de circulares, comunicados, gritos e depreciação do seu desempenho.

Em nota publicada hoje, a Prefeitura desmente a autoria do ofício de intimidação aos agentes e desafia os servidores a apresentarem o documento. A própria nota de esclarecimento da Prefeitura é subjetivamente intimidatória, pois qual seria o servidor que tenha esse documento, seria capaz de trazê-lo a público para se tornar uma nova vítima de perseguição?

Por fim, o Sintram reafirma seu compromisso de defesa constante e intransigente dos servidores públicos e rechaça com veemência qualquer insinuação de que seja um ato político partidário, uma vez que a única política desempenha por nossa instituição, é a defesa constante dos nossos servidores, o que vem sendo feito há 25 anos.”

Susposta circular publicada no site do Sintram