Reunião não define situação, mas dá esperança ao Samu Oeste

 

Estado se comprometeu em buscar soluções para pagamento da parcela atual de responsabilidade do atual governo

Em busca dos recursos em atraso do Fundo Estadual de Saúde, os consórcios de atendimento de urgência e emergência de Minas Gerais, entre eles o Cis-Urg Oeste, se reuniram com representantes do Governo do Estado, nesta sexta-feira (25).

Segundo o consórcio que administra o Samu no Centro-Oeste Mineiro, as equipes do Governo prontificaram em buscar uma solução imediata para o pagamento da parcela atual desta Administração, que é devida ao órgão e ficaram também de passar o planejamento do pagamento nos próximos dias.

Ainda de acordo com a entidade, os representantes do Estado comprometeram em fazer isso de forma rápida, para que os diretores das instituições possam organizar o serviço e informar aos funcionários e fornecedores de como ficará a situação dos consórcios.

“A demanda está encaminhada junto ao Governo do Estado e esperamos que nos próximos dias a gente tenha a boa notícia do pagamento da parcela, pelo menos uma das parcelas devidas, a de dezembro, para que possamos dar continuidade ao funcionamento do Samu Oeste dentro da normalidade”, afirma o secretário executivo, José Márcio Zanardi.

O governo do Estado deve cerca de R$8 milhões apenas ao Samu Oeste. O valor é referente a parcelas do governo anterior e do atual.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.