Saiba quanto cada vereador de Divinópolis já gastou em gabinete

Israel da Farmácia (PDT) é maior gastador; Roger Viegas (Republicanos) abriu mão de benefício

Um dos benefícios que a Câmara de Divinópolis oferece aos seus 17 vereadores é o pagamento de todas as despesas com materiais de consumo, postagens no correio (selos e mensagens impressas), telefonia fixa e até diárias e viagens para eles e seus assessores. Os parlamentares têm a obrigação de prestar contas à Controladoria Interna do Legislativo, detalhando quando e como cada centavo foi gasto.

Pela análise dos relatórios de gastos que cada gabinete entregou de janeiro a março é possível saber quanto cada um deles gastou no primeiro trimestre da legislatura. A soma das despesas rende R$ 6.765,04.

1º lugar

No topo dos gastos com gabinete está Israel da Farmácia (PDT), que queimou R$ 877,57 do recurso público. Janeiro foi o mês com mais gastos: R$ 371,72. A maior parte do valor, conforme consta no relatório, foi destinada a itens de escritório. Blocos de papel, copos descartáveis e itens de informática, como mouse e teclado USB. Já em fevereiro foram R$ 262,94 em mais materiais para impressão e itens como teclado multimídia e aparelho telefônico. Em março foram R$ 242,91 em suprimentos para impressão, canetas e copos, dentre outros itens.

Na tarde desta segunda-feira (26) o blog perguntou ao vereador, por meio de mensagem no WhatsApp, o que ele teria a dizer sobre o fato de vigorar no topo do ranking dos gastos com gabinete. Mas, como não houve resposta até ao fechamento do texto, na noite de quarta-feira (28), o conteúdo foi publicado com a explicação de que ainda que aguardávamos pelo posicionamento dele. 

Na manhã desta quinta-feira (29), Israel enviou a seguinte resposta:

“Nesses primeiros três meses solicitei o material para uso do próprio no gabinete, como folha ofício, papel timbrado e cartucho para impressora. Sabendo da responsabilidade e compromisso com dinheiro público, farei todo possível para diminuir esse gasto já para o próximo trimestre”.

Israel da Farmácia lidera ranking de gastadores no primeiro trimestre (Foto: CMD/Divulgação)

Posições intermediárias

2º lugar: Wesley Jarbas (Republicanos): R$ 699,48
3º lugar: Zé Braz (PV): R$ 695,19
4º lugar: Josafá (Cidadania): R$ 668,66
5º lugar: Flávio Marra (Patriota): R$ 612,11
6º lugar: Edsom Souza (Cidadania): R$ 583,51
7º lugar: Lohanna França (Cidadania): R$ 563,14
8º lugar: Rodyson do Zé Milton (PV): R$ 516,20
9º lugar: Ana Paula do Quintino (PSC): R$ 386,66
10º lugar: Eduardo Azevedo (PSC): R$ 300,41
11º lugar: Diego Espino (PSL): R$ 230,26
12º lugar: Ademir Silva (MDB): R$ 161,32
13º lugar: Ney Burguer (PSB): R$ 133,04
14º lugar: Hilton de Aguiar (MDB): R$ 129,37
15º lugar: Kaboja (PSD): R$ 108,24
16º lugar: Eduardo Print Júnior (PSDB): R$ 99,88

Último lugar

Na lanterna dos gastos com verbas de gabinete está Roger Viegas (Republicanos) que não gastou nem um centavo de dinheiro público com recursos de gabinete. Ele abriu mão do benefício e afirma que paga as despesas de gabinete com dinheiro do próprio bolso.

“Na legislatura anterior eu fui o vereador mais econômico e nesta continuo sendo. Zelo por isso. Às vezes um vereador extrapola muito nos gastos e isso reflete muito na Câmara. Acho importante que esse dinheiro que deixamos de usar no gabinete possa ser devolvido à Prefeitura para ser revertido em bem estar para a população, como em obras e outros serviços. Quanto mais a Câmara devolver ao Município ao fim do ano, melhor é para o munícipe”, diz Viegas.

Roger Viegas abriu mão de usar a verba de escritório (Foto: CMD/Divulgação)

Vale destacar

Apesar das diferenças nos gastos, em uma coisa os vereadores se igualam: nenhum deles gastou com diárias e viagens no primeiro trimestre. O presidente da Casa, Eduardo Print Júnior, tem uma explicação para isso.

“Esse foi um mês atípico. A gente trabalhou menos que o normal. A Câmara parou naquele feriado prolongado e alguns servidores tiveram férias coletivas. No meu caso, ainda temos no gabinete papel A4 do mês passado. Não precisamos pedir mais. Como não houve atendimento externo não houve ofícios a serem encaminhados por correios e nem respostas a serem dadas, porque não tinha atendimento”.

Com a retomada completa do funcionamento, a partir do regresso de Divinópolis à Onda Roxa, o uso dos materiais de escritório e dos serviços de postagens e diárias começa a ser usados. Ainda assim a Presidência da Câmara espera que os próximos meses sejam marcados pela redução nos gastos.

“Creio que agora, no mês de maio, a gente consiga economizar bastante. O mesmo formato que estamos implantando na Presidência está sendo implantado também nos gabinetes dos vereadores. E a partir do próximo mês implantaremos o token digital, por meio do qual será possível deixar de gastar papel com requerimentos, indicações, ofícios etc. Creio que conseguiremos reduzir ainda mais os gastos dos vereadores nos gabinetes”, finaliza Print.

Eduardo Print Júnior prevê economia a partir de maio (Foto: CMD/Divulgação)

Ricardo Welbert

Ricardo Welbert

Ricardo Welbert, jornalista formado pela Uemg em Divinópolis e mestrando em Ciências da Comunicação na Universidade do Porto, em Portugal.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.