Servidores municipais de Divinópolis querem reajuste de 10%

Categoria ainda reivindica aumento do vale-alimentação hoje em R$8 por dia

Os servidores municipais de Divinópolis definiram a pauta da campanha salarial 2020. Comandada pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (Sintram), Luciana Santos  a assembleia teve ainda a presença do vice-presidente Wellington Silva, do secretário geral Demetrio Bento e dos diretores Geise Silva e Vantuil Alves.

Além da pauta da campanha salarial, também foi discutida a situação do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (Diviprev) que terá que passar por uma revisão até julho. A presidente Luciana Santos lembrou que se isso não ocorrer dentro do prazo previsto, os servidores de Divinópolis cairão automaticamente nas regras previdenciárias do Estado, alertando ainda que a contribuição da categoria aumentará de 11% para 14%.

A presidente disse que é preciso começar a discutir o tema, já que há um silêncio no Executivo que até agora não fez nenhuma manifestação. Servidores presentes denunciaram, ainda, o aumento das atividades terceirizadas, que trazem prejuízos ao Diviprev e preenchem vagas que deveriam ser destinadas a servidores efetivos.

A presidente do Sintram comunicou que o gatilho desse ano ficou em 5,23%, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) medido pela Fundação Ipead.

“Esse índice tem que estar na folha de pagamento de março. É lei e não abrimos mão dele”, disse a presidente.

Ao final da assembleia, a pauta aprovada pelos servidores foi fechada e será encaminhada ainda essa semana ao Executivo, já com pedido de abertura das negociações. Os servidores querem reposição de 10%, sendo 5,23% referente gatilho e 4,77% a título de recomposição dos salários em razão das perdas dos últimos anos. A categoria quer, ainda, a revisão do vale alimentação, que hoje está em R$ 8,00 ao dia. A classe reivindica um aumento anual de R$ 1,00 mais o IPCA acumulado da Fundação Ipead.

Também ficou definido que o sindicato deverá liderar a luta contra as terceirizações no município e conscientizar os servidores da necessidade de discutir a situação do Diviprev, já que boa parte da classe ainda desconhece as novas regras estabelecidas pela reforma previdenciária, que afetam diretamente os Regimes Próprios de Previdência Social (RPPS).

A categoria também elegeu a Comissão de Servidores que acompanhará as negociações entre o Sindicato e o Executivo. Formam a comissão, os servidores Darly Salvador, Lourdes Lopes e Claudemir Cunha.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.