Transporte público: alguns usam, mas todos se beneficiam

O transporte público não pode ser visto apenas como uma relação entre ônibus e passageiro, pois os benefícios atingem toda a população, inclusive aqueles que acham que não precisam do serviço.

 

Busão lotado, ruas cheias de buracos e passagens com tarifas altíssimas são alguns dos perrengues que Sidneia passa, diariamente, quando precisa ir ao trabalho. Por outro lado, temos Vladmir… O empresário e sua família, por jamais terem andado de ônibus, sempre acreditaram que nunca dependeram do transporte público. Porém, mesmo Sidneia e Vladmir tendo um estilo de vida diferente, os dois passam raiva por causa dos problemas no trânsito da cidade.

Sidneia é moradora da periferia e não possui nenhum carro, enquanto a família de Vladmir anda em três por dia, porque cada um dos filhos dirige. Com isso, Vladmir contribui com a superlotação no trânsito e não auxilia em nada para as melhorias no sistema de transporte público. Já pessoas como Sidneia, colaboram diariamente (e sozinhos), pois o dinheiro gasto com as passaginhas custeia esse sistema. Apesar dessas amolações, temos uma boa notícia: é possível melhorar toda essa situação do transporte público. Isso mesmo! Para quem não sabe, esse tipo de mudança é algo inovador e que, logo mais, será implantado nas cidades mais inteligentes.

Com toda certeza, você já deve estar se perguntando:

“Uai… mas, como podemos resolver essa situação rapidamente e fazer com que seja justo para todo mundo, já que toda a população se beneficia do sistema de transporte público, e não somente pessoas como Sidneia?”.

Bom, é válido lembrar aqui que o sistema de transporte público não é composto apenas por ônibus. Então, para melhorá-lo, é preciso um projeto que invista em: praças de embarque, faixas exclusivas para ônibus e ciclovias, sincronização com os semáforos, etc. Sim, essa estrutura é ótima! Mas, para isso realmente acontecer, é necessário um sinal verde que vai além dos semáforos de um trânsito… e é exatamente isso que você pensou: DINHEIRO! Aliás, quer saber qual seria a melhor maneira de adquirir recursos para financiar esse projeto? A resposta é simples: fazendo com que os veículos particulares também contribuam com esse sistema.

Calma! Sei que te damos um susto, né? (risos). Vamos explicar: assim como o pessoal, do transporte público, paga tarifas altíssimas e acaba contribuindo com a mobilidade urbana, pessoas que utilizam veículos particulares podem contribuir, também, através dos valores já pagos aos estacionamentos de rua. Ou seja, sairia dessas taxas e não seria necessário aumentar nada do valor atual. Genial! Não é mesmo? Desse modo, todo mundo fica satisfeito com as melhorias no trânsito e teríamos uma mobilidade urbana mais eficiente (e mais justa), tanto para Vladimir, quanto para Sidneia.

 

Will Bueno

Will Bueno

Olá! Sou Will Bueno. Engenheiro (UFMG), Mestre em Administração Pública pela Universidade Federal de Columbia (Nova Iorque, EUA), servidor federal (efetivo) do Ministério da Economia e, atualmente, Secretário da pasta de Obras e Planejamentos do município de Divinópolis (MG). Como especialista em infraestrutura, já trabalhei no gabinete da Presidência da República e, também, criei projetos na área. Por falar em projetos, fundei o “Infra2038” e o “Divina Cidade” para melhorar a qualidade de vida de diversas pessoas pelo Brasil e, principalmente, aqui em Divinópolis. Além disso, faço parte do Movimento Agora: uma instituição que reúne profissionais técnicos extremamente comprometidos com as políticas públicas mais relevantes do país. Neste blog, vou abordar sobre temas relacionados à infraestrutura (a níveis municipais, estaduais, nacionais e internacionais) de uma maneira inovadora e transformadora.

Deixe seu comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do PORTAL GERAIS. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O PORTAL GERAIS poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.