Skip to main content

Paciente volta para a casa sem ser atendida: “Chorei de descaso”

A consultora de Vendas Daiana Oliveira esperou oito horas por atendimento médico na UPA de Divinópolis até desistir e ir embora

A consultora de Vendas Daiana Oliveira estava, nesta quinta-feira (9/6), entre os pacientes à espera de atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Divinópolis. Foram oito horas aguardando, até desistir.

“Cheguei às 13h e sai às 21h e não tinha sido atendida. Perguntei a moça do atendimento, ela disse que não tinha previsão. Tinha somente um médico e a preferência era de quem estava com a pulseira amarela. Fiquei a tarde toda com muita tosse e com vômitos e tive que voltar para a casa. Chorei pelo descaso”, relatou.

Ela foi classificada na triagem do protocolo de Manchester como verde, ou seja, “pouco urgente” podendo esperar até 4 horas. Entretanto, aguardou o dobro do prazo e não foi atendida.

Com muita tosse, vomitando e dores, ela voltou à UPA nesta sexta-feira (10/6). Desta vez, conseguiu atendimento médico.

“Cheguei às 7h15 e até que foi rápido”, contou.

Foram cerca de duas horas esperando. Moradora do Córrego do Paiol, zona rural de Divinópolis, ele alega que não há na comunidade equipes básicas de saúde com atendimento diário.

Em maio ela já havia buscado ajuda médica. Também na UPA foi prescrita a medicação. Entretato, o quadro clínico não melhorou e ela decidiu voltar.

A situação que beira ao colapso foi denunciada ontem pela Comissão de Saúde da Câmara de Divinópolis. Um documento foi encaminhado ao Ministério Público cobrando solução.

À beira do colapso: Superlotação da UPA de Divinópolis é levada ao MP

Atenção primária

Para evitar o colapso da Unidade, a Secretaria de Saúde de Divinópolis alega que tem tentado investir na atenção primária para “transformá-la na estratégia preferencial de atuação na prevenção de agravos e na promoção e recuperação da saúde da população”.

“Até o presente momento implantamos o Programa Saúde na Hora em cinco unidades de saúde, estendendo o horário de atendimento destas unidades até as 22 horas. Para o funcionamento do referido programa foram contratados 19 servidores”, afirmou a Semusa em nota.

Além do Programa Saúde na Hora, que possui perspectiva de ampliação, a secretaria alega que, desde janeiro de 2021, aumentou o número de profissionais com vistas a ampliar a capacidade instalada das unidades assistenciais e a possibilitar a conversão do formato das convencionais em Estratégia Saúde da Família.

No referido período, foram incorporados à rede 275 novos profissionais.

Outras medidas

A Prefeitura de Divinópolis divulgou também, nesta sexta-feira (10/6), um plano emergencial para desafogar a UPA. A Policlínica será aberta a partir de quarta-feira (15/6) para pacientes com sintomas respiratórias. A previsão é que os atendimentos ocorram por 90 dias.

Também foram comprados 10 leitos no Complexo de Saúde São João de Deus (CSSJD).